quinta-feira, fevereiro 01, 2007

O Mestre do Terror Brasileiro

A arte e a cultura brasileira vêm passando por um processo de amadurecimento contínuo ao longo dos tempos. O cinema nacional, em contraste ao que vemos hoje, já foi exemplo de mal gosto e falta de qualidade. Se faz bastante claro que não podemos justificar o todo pela parte. Grandes mestres como Mazzaropi, do cinema regionalista, Oscarito, Grande Otelo, que foram grandes nomes no cinema de Chanchada, além de roteiristas e diretores de peso, como Carlos Manga e claro, José Mogica Marins, o todo poderoso e senhor de todos os sortilégios Zé do Caixão.

A literatura, desta se torna redundante falar, temos uma das mais ricas do mundo, sem a menor sombra de dúvida. Clássicos que encantaram, emocionaram e fizeram pensar gerações inteiras de crianças, jovens e adultos. Augusto dos Anjos, Cecília Meirels, Guimarães Rosa, Olavo Billac, Oswald de Andrade, Érico Veríssimo, Machado de Assis, Manoel Bandeira, Mário Quintana, Monteiro Lobato...acho melhor parar por aqui.

E em tempos de "Eguinha Pocotó" e "Bruna Surfistinha", vale muito a pena falar de uma literatura que, fazendo juz ao gênero, está consolidando um grande novo nome do suspense e terror brasileiro: André Vianco

Se você ainda não ouviu falar dele, vai ouvir. Com grandes títulos lançados em mais de 10 anos de carreira, André Vianco cria e dá vida aos mais surpreendentes devaneios de uma mente genial no que tange a criatividade para escrever histórias de vampiro, anjos, fantasmas e demais criaturas de além-túmulo. O mais interessante é poder ver personagens com nomes realmente brasileiros e lugares por onde você certamente passa todos os dias à caminho do trabalho retratados em suas páginas. São heróis e anti-heróis com problemas do cotidiano de todos nós, como a bebida, aluguel atrasado, dificuldades de relacionamento interpessoal e, é claro, professores na arte do "jeitinho".

São obras de vocabulário simples e direto, o que deixa bem claro que o importante para ele é a emoção, a diversão e o entretenimento na hora de lermos suas obras. André não me parace, nem de longe, ter a menor pretenção de algum dia ser imortal da Academia Brasileira de Letras. Em se tratando de formalidades e tradições literárias, se este fosse o caso, tenho certeza que tudo que "Os Imortais" iriam querer é que André Vianco continuasse o mais mortal possível. Mas em se tratando de diversão, longa vida à André Vianco!

Algumas de suas obras mais famosas são: Os Sete (seu primeiro sucesso), Sétimo, Senhor da Chuva, Sementes No Gelo e a coleção Turno Da Noite.

Ler André Vianco vale cada minuto, cada centavo e cada arrepio na espinha.
Recomendo!

Alguns links interessante:
Museu Mazzaropi - http://www.museumazzaropi.com.br/
Click Escritores - http://www.clickescritores.com.br/imortais.htm
Contos Noturnos - http://www.contonoturno.hpg.ig.com.br/livros/index.html
Edito Novo Século - http://www.novoseculo.com.br/

por Renato Caldas.
E-mails, xingamentos e ameaças de morte para: renatocaldas01@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário