quarta-feira, setembro 17, 2008

Pendrive - O insubstituível (até surgir um hardware novo...)

A idéia que tento passar neste título não é tão simples, mas vai fazer todo sentido depois que você parar para pensar. E vai concordar comigo.

Eu acabei de adiquirir um fantástico pendrive de 16Gb da Corsair. Na minha opinião, e o melhor pendrive DO MUNDO. Não só pelo espaço, mas pelo acabamento emborrachado e pela qualidade das memórias flash da Corsair.

O fato é que eu estava dando uma olhada na internet para ver o quão importate este hardware (a pendrive) tem se tornado para a nova sociedade digital. E fiquei abismado.

Uma nova tendência é que estes dispositivos se tornem tão baratos, mas TÃO BARATOS, que venham a substituir de forma indolor várias outras coisas do nosso dia-a-dia.

Que o CD e o DVD de dados de backup está indo para o ralo, todo mundo sabe. Possui baixo reaproveitamento (se não for regravável, o reaproveitamento é zero), difícil reciclagem e custo incompatível. Tá, o CD já custou em torno de R$5,00 a unidade não-regravável, e hoje custa em torno de R$ 0,50 em shoppings de informática e mercados populares, como a Rua da Alfândega, a Uruguaiana no Rio, a 25 em São Paulo, mas ainda assim vai naufragar.

Novos golpes de marketing estão sendo planejados para que os nóvos álbuns musicais (que hoje só se chamam álbuns por questão de nostalgia...) sejam disponibilizados em PENDRIVES, inicialmente de 1Gb. Então, você compra uma pendrive com várias músicas em MP3, e junto vem mais algum conteúdo, como um atalho para o site da gravadora, outro do artista ou banda, uma pasta com várias fotos e algumas imagens de CAPAS para o CD que você mesmo pode gravar e personalizar.

Quem diria, hein? Antes, o MP3 era o vilão. Agora, é a chance de lucro. Sem gasto de papel, sem CD, sem tinta e sem grandes embalagens... Você mesmo faz, na sua casa. Aí, quem gasta o papel, a tinta e o CD é você. Mas ganha a pendrive. :)

Outra coisa que está sendo substituído por pendrive é o cartão de visita. Aquele que você dá pra seu cliente... Mas na pendrive, só cartão de visita pra cliente importante, se não vai no papel mesmo.

Tem gente distribuindo CURRICULO em versão pendrive.

Nos congressos e convenções, além da caneta e da pastinha com bloquinho, vem também uma pendrive de meros 512Mb...

Vai entregar um relatório importante? Arranja um pendrive de 128Mb e entrega com o .PDF lá dentro... De repente já sai mais barato que um disquete ou uma resma de Chamequinho!

Já pendou na hora em que você puder comprar um filme levando o pendrive? Imagina só!!! Você vai até um terminal de download igual aos quiosques de revelação de fotos digitais que têm no shopping, escolhe o filme, paga lá uns R$4,99 e descarrega pra pendrive. Tem quem compra música baixando pela internet e pagando uns R$2,99 por canção. Pra fazerem isso com os filmes, falta pouco. Eu topo comprar um filminho assim. Topo mesmo!!! Quase como comprar Coca-Cola levando o casco. Lembra disso?

É, as idéias nunca são realmente originais. Já dizia o profeta Abelardo "Chacrinha" Barbosa: Nada se cria, tudo se copia...

Acredie, pendrives são mais que uma necessidade. São que nem dívida ativa: ou você tem, ou você não tem...rs rs

Olha a impotância retratada na foto abaixo. Encontrei num outro blog na internet... Segue referência.

A pendrive dos pobres. :) - Fonte: http://chrismazzola.blogspot.com/2008/04/pen-drive-dos-baixa-renda.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário