sexta-feira, dezembro 04, 2009

O novo CD dos Sambas de Enredo de 2010 e o futuro do samba.

Já está nas lojas o novo CD dos Sambas de Enredo de 2010 das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro.
Minha noiva acabou de chegar em casa com ele. A gente costuma esperar até o preço cair pela metade logo depois do Natal, mas ela não resistiu.

Diferente dos demais anos, agora em 2010 o CD oficial tem sua gravação feita ao vivo. Ok, não é um “AO VIVO” de verdade. Apenas o disco não foi normalmente gravado sem coral de fundo das pessoas da comunidade. Este ano ele foi feito assim, e estão chamando de “gravação ao vivo”. Mesmo assim eu gostei.

Pra falar a verdade, todo mundo que me conhece sabe que sou Portelense. MUITO PORTELENSE. Mas tenho que admitir que o samba já não é mais como era antes. Ficou realmente muito comercial. Não falo isso defendendo que o samba não devesse ficar assim, ou como se isso trouxesse alguma conotação negativa. Ser comercial não é ruim, ganhar dinheiro com o samba não é ruim. Ruim é quando as coisas começam a ser feitas como se o único objetivo fosse vencer uma etapa. Algo como “Ok, pessoal, fim de ano está aí, já é Carnaval. Temos que escolher os sambas de 2010 e gravar logo o CD. Vamos resolver logo isso..” .

É ruim quando as pessoas perdem a paixão pelo que fazem. E o samba está meio sem aquela paixão. Eu escutei o CD e gostei, volto a falar. Porém, não é como era a 10/15 anos atrás. Lançar o álbum com os Sambas do ano seguinte no fim do ano é, pra mim, quase igual a escutar a músiquinha do comercial da Leader Magazine…. Você via o anúncio do novo álbum dos Sambas pro ano seguinte e sabia que o ano tinha acabado. Sabia também que poderia comprar com fé, que o samba da sua escola iria te emocionar.

Isso nào está mais acontecendo.

Eu lembro de ter escutado o Paulinho da Viola uma vez falar no Programa Altas Horas, quando perguntaram se ele ainda frequentava a quadra da Portela com aciduidade, se ainda fazia parte da “mistura”. Ele, típico representante da verdadeira malandragem carioca, com um jeito calmo e sereno respondeu com toda educação: “Ah… tá tudo muito mudado, as coisas estão muito diferentes…”. Eu sabia exatamente o que ele queria dizer com isso.

É… ele foi redundante. Antes de falar, ele já havia cantado em uma de suas músicas a muito tempo atrás: “Tá legal, eu aceito o argumento. Mas não me altere o samba tanto assim… Olha que a rapazeada está sentindo a falta, de um cavaco, de um pandeiro e de um tamborim…”

Já mataram o Rock`n Roll… espero que não matem o samba também…

Nenhum comentário:

Postar um comentário